Saturday, January 13, 2007

Breve introdução à Arte Postal

Na era da comunicação de massa, a ARTE POSTAL pode ser considerada um dos poucos meios de troca de informações que escapou à lei da massificação. É antes de tudo um meio expressivo de revalorização da comunicação interpessoal, uma anárquica prática contra o super poder da "Mass Media", que partiu para a conquista de uma posição de defesa, tipo zona franca, onde grupos marginais de operação artística querem e dividem o desejo de agitar as vias convencionais de correspondência transformando-se em arte e ainda por esse meio a própria vida.

A ARTE POSTAL se utiliza quase sempre do signo-palavra-imagem extrapoladas da Babel da linguagem de Mass Media para uma correção da leitura sócio-cultural. É sobretudo uma séria tentativa de reciclagem da utilização da linguagem visual.

Dos primitivos "grafitis" nas paredes das cavernas ao alfabeto pré-cristão, dos signos rústicos às estruturas contemporâneas da linguagem internacional, comunicar magicamente sempre foi e continua sendo a máxima aspiração dos seres humanos, um aspiração tida em pouca conta (por motivos óbvios) apesar do constante aperfeiçoamento tecnológico na área da comunicação.

"Jogar" ARTE POSTAL, em suma, pode ser considerado não apenas um meio comunicativo artístico, mas antes de tudo liberatório. É a superação das barreiras do ego, dogmas e nacionalidade; uma reação ao isolamento do homem contemporâneo.

Ray Johnson (seu fundador) começou a circular ARTE POSTAL nos Estados Unidos nos anos 50 e não foi por acaso que ela nasceu e se desenvolveu num contexto social no mais alto grau de sofisticação. Os artistas americanos no entanto não detêm o monopólio da ARTE POSTAL, que também, irrompeu através da Europa Oriental e Ocidental, Canadá e América Latina.

Cada país reflete seu sistema através da ARTE POSTAL e a conjuntura política afeta mais ou menos o conteúdo político de seus envelopes. Mas a ARTE POSTAL responde também a outras tendências e atitudes de outras "mídias".

Cresce a cada dia o número de pessoas que se utiliza dessa arte, com imagens de forte qualidade visual, concepções altamente individualizadas e largo apoio dos diversos meios de produção como Xerox 6.500, Polaroid e estruturas gráficas através da computação. ARTE POSTAL é uma das importantes formas de expressão artística dos anos 80.

Mais que expressão artística é uma atitude, cuja principal força talvez esteja na possibilidade que abre a qualquer pessoa de participar desse "jogo". Liberta aquele que quer se manifestar de forma criativa, do mundo mercantilista que invadiu a produção de arte, para se comunicar através se signos e imagens, resultando desse "jogo", um retrato fiel do mundo cotidiano desses artistas.

APRESENTAÇÃO DAS COLEÇÕES DE ARTE POSTAL
O acervo de arte postal do Centro Cultural São Paulo compõe-se da doação de três coleções por seus organizadores. Em 1984 recebemos a doação do material exposto na XIV Bienal de São Paulo-núcleo I através de Walter Zanini. Em 1986 Maurício Villaça nos ofereceu "Brutigre 86" e pouco depois foi Ozéas Duarte com "Como você limpa sua boca ?". Esse superior conjunto de correspondência oferece à comunidade todas as informações necessárias para uma intercomunicação postal, através de consulta, que estará a disposição dos interessados que poderão observar a coleção existente. Estamos também, especialmente agradecidos, ao Prof. Walter Zanini e, particularmente, a Gabriel Borba Filho - figura chave nos primeiros estágios da fundação dessa coleção.


COLEÇÃO OZEAS DUARTE "Como você limpa sua boca" ?
Como você limpa sua boca? foi o que perguntou Ozéas Duarte ao circuito de Arte Postal, numa proposta idealizada e apresentada em 1986 no Centro Cultural São Paulo. A sugestão de se utilizar guardanapos como suporte, revelou uma originalidade de envios com extrema qualidade visual e ideária. Todo o conjunto foi apresentado em novembro de 1986, com algumas reapresentações itinerantes. A doação da coleção foi feita por Ozéas Duarte, a quem agradecemos, na certeza de que os resultados justificaram o esforço despendido.
veja da coleção

COLEÇÃO WALTER ZANINI "XIV Bienal Núcleo I"
A coleção Walter Zanini oferece ao expectador um panorama da movimentação da Arte Postal no Brasil e no exterior, através de correspondência recebida por Walter Zanini no ano de 1981, quando se realizou a XVI Bienal de São Paulo. Da apresentação constam aproximadamente quatrocentos artistas nacionais e internacionais, que enviaram envelopes, colagens, cartões, postais, carimbagens, xerox, polaroids, selos, adesivos, fanzines, catálogos, livros, álbuns, etc. Devido a enorme quantidade de material, que ocuparia um espaço de centenas de metros, como se verificou na XVI Bienal, optamos por dividir o material em pranchas e envelopes.
veja da coleção

COLEÇÃO MAURÍCIO MENDONÇA "Brutigre"
"Butigre 86" foi uma proposta para a exposição de Arte Postal movimentada por Maurício Villaça em 1986, sendo o tigre elemento unificador do conjunto heterogêneo de impressões e expressões de cem artistas de treze países. A exposição foi apresentada em outubro de 1986 no Centro Cultural São Paulo com reapresentações posteriores. A doação da coleção foi feita por Maurício Villaça após o encerramento da mostra inicial.
veja da coleção


fonte: Pinacoteca Municipal
http://sampa3.prodam.sp.gov.br/ccsp/virtuais/pinaco/menupost.htm

1 Comments:

Blogger Alexandre G.Vilas Boas said...

Legal Cíntia, agora já temos um blogger de arte postal! Parabéns por sua iniciativa! Vamos nessa!
Estou linkando ele com o meu blogger.
Beijo.
Alexandre

10:15 AM  

Post a Comment

<< Home